Evangelização

Artigos

Perguntas e Respostas

Comentário sobre os temas nas respectivas postagens

Para outros comentários e sugestões clicar o link COMENTÁRIOS DIVERSOS

domingo, 22 de outubro de 2017

EU SOU O SENHOR TEU DEUS





Eu sou o Senhor teu Deus, não existe outro deus além de mim.

Por que, irmãos, existem católicos  que mesmo tendo Deus em seus corações e comportando-se como templário da Igreja de Jesus de repente se deixam confundir por lições verbais ou escritas mal interpretadas para vacilar no seu testemunho de fé?

Não existe compêndio no mundo nem escola que possa desequilibrar os ensinamentos de Jesus transmitidos desde o inicio  pela Igreja Católica, nem mesmo a Bíblia sujeita a interpretações variadas que cedem ao Magistério da Igreja. Igreja que é fruto de Jesus, o próprio Deus encarnado. Sem a religião nada teórico se explica e compreende. 

Paulo, Silvano e Timóteo não hesitam na sua carta, 1Ts 1,1-5b, de falar à Igreja que se reúne em nome do  Pai e do Filho Jesus, elogiando e agradecendo a seus fiéis que honram sua opção de fé e participação como pessoas escolhidas, pela firmeza, esforço, esperança, convicção, sinceridade, valores espirituais e religiosos de um povo santo pelos quais rezam e rendem graças a Deus.

Essas virtudes são fortalecidas não apenas pelas Palavras simplesmente ditas, mas sobretudo pela abertura do coração à Luz  do Espírito Santo.
Dc Narelvi

domingo, 15 de outubro de 2017

SABADO OU DOMINGO - EX 20,8-11



 PERGUNTAS E RESPOSTAS.
Um leitor anônimo lançou o desafio: Leia êxodo 20:8-11 ...e tire suas conclusões...
Diz respeito ao assunto SÁBADO OU DOMINGO SEGUNDO CID MOREIRA que está no link  abaixo:
 http://diacononarelvi.blogspot.com.br/2012/04/sabado-ou-domingo-segundo-cid-moreira.html?showComment=1508089921886#c5774175349647013278
Vamos lá!
Ex 20, 8. Lembra-te de santificar o dia de sábado. 9. Trabalharás durante seis dias, e farás toda a tua obra. 10. Mas no sétimo dia, que é um repouso em honra do Senhor, teu Deus, não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem teu servo, nem tua serva, nem teu animal, nem o estrangeiro que está dentro de teus muros. 11. Porque em seis dias o Senhor fez o céu, a terra, o mar e tudo o que contêm, e repousou no sétimo dia; e por isso. o Senhor abençoou o dia de sábado e o consagrou.”.
Amigo e irmão em Cristo.
Não apenas no Ex 20,8-11, mas em outras passagens do AT fala no sábado. Jesus guardava o sábado, sabia?
No texto exposto no assunto "SÁBADO OU DOMINGO SEGUNDO CID MOREIRA" do blog e outros que escrevi explicam bem o sentido do sábado e do domingo e como passou a ser guardado o domingo. 
O sábado que aparece no v. 8 deriva do grego shabbat, que no judaísmo significa descanso que deve ocorrer “num sétimo dia”, não necessariamente o sábado ou o domingo do nosso calendário. “Esse ´dia` após a criação não se trata de um dia literal. A princípio, por ter Deus encerrado a criação o seu descanso ou o cessar de suas obras não poderia se resumir a um mero dia de 24 horas”.
Daí que “A essência do 4º mandamento não é o dia da semana denominado “sábado”, mas que no 7º dia ocorra um “descanso”, “cessação” ou “interrupção” do trabalho. 
Concentrando então a criação do mundo nesses “seis dias”, Deus quer que se “descanse”, respeite o “sétimo dia” como SHABBAT = DESCANSO.
Portanto, santificar o dia de sábado do v. 8 não induz precisamente ao dia da semana, mas a um sétimo dia para descanso conforme esclarecem os vv. 10-11, assim como poderia cair ao invés do sábado ou domingo, noutro dia qualquer da semana nos limites do nosso calendário.
Reforçando, seis dias como se fossem sequenciais foi uma maneira do escritor do êxodo narrar que Deus criou o mundo não de uma vez só, mas gradativamente, algo de cada vez até chegar ao homem, não se podendo mesmo que se esforce, imaginar que foram a cada 24 horas. 
Para entender melhor. Pense bem!
O Êxodo foi escrito entre 1.440 a 1400 aC pouco tempo em proporção à idade da criação do mundo que aconteceu a bilhões de anos, você não acha? 
Segundo ainda a ciência, no calendário humano o homem inteligente só existe na terra há 12 mil e a Era Cristã, apenas 2.017 anos.  Compreendeu?  E a ciência não retira a autoria do Criador.
Só para continuar comparando, faz mais tempo a existência dos escritos do NT do que os escritos do AT (êxodo no caso).
Para Deus não existe tempo nem contagem de tempo. Portanto, Deus não criou o mundo exatamente em seis dias de vinte e quatro horas, para descansar domingo, embora você não seja obrigado a pensar diferentemente do texto bíblico nesta parte. 
Ora, o escritor do êxodo (Moisés), viveu aproximadamente entre os anos de 1440 a 1400 ac. Logo, não presenciou nem testemunhou o inicio do mundo. Inspirado por Deus seu objetivo foi registrar que DEUS É O CRIADOR e isto não podemos negar sendo completamente irrelevante se foi em seis, sete dias, milênios ou milhões de anos. É bom repetir que DEUS NÃO USA CALENDÁRIO.
Naquela época não existia calendário para definir que o sétimo dia seria o sábado. Da palavra grega shabbat derivou mais tarde a palavra sábado. 
Abro um parêntesis para lembrar que o primeiro calendário surgiu por volta de 2.700 aC na Mesopotâmia. Muitos, mas muitos anos mesmo depois que o mundo e os homens já haviam sido criados.
Portanto, sair do sábado para guardar o domingo é uma questão de semântica bíblica que o Cristianismo, pela valorização que Jesus deu ao sábado seguido pelos apóstolos e sucessores apostólicos, adotou. Além do mais, por que Jesus ressuscitou num domingo, DOMINGO É O DIA DO SENHOR POR EXCELÊNCIA. 
Para se chegar ao calendário oficial que adotamos que é o Gregoriano passou por estudos e diversas e profundas mudanças.  (O Calendário Gregoriano é um calendário que teve a sua origem na Europa no século XV, promulgado pelo Papa Gregório XIII 1 (1502-1585) em 24 de Fevereiro do ano 1582 em substituição ao calendário juliano, mais antigo, implantado pelo líder romano Júlio César (100 a.C.- 44 a.C.) em 46 a.C., sendo utilizado oficialmente pela maioria dos países. Mais uma das contribuições da Igreja Católica para o mundo).
 
Finalizando, conforme ensina São Paulo em sua carta aos Colossenses, 2,14-17, JESUS CRISTO É A NOVA REALIDADE EM DEUS, e aboliu não somente essa ideia maluca (desculpem!) de não comer carne de porco ou peixe sem escamas, como o ferrenho apego ao sábado (do nosso calendário). Diz São Paulo: "14. cancelando o documento escrito contra nós, cujas prescrições nos condenavam. Aboliu-o definitivamente, ao encravá-lo na cruz. 15. Espoliou os principados e potestades, e os expôs ao ridículo, triunfando deles pela cruz. 16. Ninguém, pois, vos critique por causa de comida ou bebida, ou espécies de festas ou de luas novas ou de sábados. 17. Tudo isto não é mais que sombra do que devia vir. A realidade é Cristo.”.
 
Agora sim, concluindo:
Para quem se prende ao dia do sábado (ou domingo), lembre-se que não basta guarda-los, mas a todos os mandamentos de Deus e da Igreja deixados em segundo plano por muitos, o que é pecado.
Portanto, se você, irmão, preferir continuar guardando o nosso sábado, continue, mas não acuse o nosso shabbat  dominical de errado.
Um fraternal abraço.Dc Narelvi.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

QUEM PODE MAIS, O STF OU O LEGISLATIVO



Quando o Brasil todo quer acabar com a imunidade e privilégios parlamentares; quando nos deparamos com um Legislativo corrupto e corporativista em sua grande parte; quando a Superior Instância tem a oportunidade de dar a sua contribuição para assegurar uma Justiça justa e passar o Brasil a limpo aprimorando a interpretação de textos obscuros ou de dupla interpretação da Constituição, os senhores Ministros aproveitam para em longos discursos exibir conhecimentos jurídicos conflitantes entre si demonstrando a dupla face da moeda nas interpretações de textos legais gerando insegurança do julgamento onde o que faz vencedor não é o direito, mas a sorte do apelante.


Decidiu-se de acordo com que o Senado esperava. 


Reconheceu-se em vos uníssona que decisão do Supremo não se discute, cumpre-se! Mas, ao mesmo tempo confirma à Câmara e Senado o direito soberano” de acatar ou não uma decisão do Judiciário que atinja qualquer um de seus membros através de um julgamento politico”. Esse julgamento (político) já é tendencioso e corporativista ainda mais quando se deixa a critério o exame de questões subjetivas comosempre que a medida cautelar impossibilitar direta ou indiretamente o exercício regular do mandato legislativo”, ou que haja fatos concretos que apontem gravidade em investigações de crimes comuns para a continuidade dos trabalhos judiciais”. É como interpretar o sexo dos anjos. Qualquer palpite serve. 

Ótima a confirmação de que juízes podem aplicar medidas cautelares contra parlamentares. Mas submeter a execução dessa medida ao aval do próprio ente a que pertence o político é uma decisão capenga, um rebaixamento, por que julgamento político não respeita técnica jurídica, mas conveniências e interesses corporativistas entre iguais. Valem os ditados: O corvo não tira o olho de outro corvo” e “Entregar a galinha para a raposa guardar”.


 Coloque-se o resultado na conta dos seis votos que contrariaram o do relator para submeterem-se ao Legislativo, e tenha-se em conta que se em apertado resultado cinco deles votaram a favor da prevalência e superioridade do Tribunal, em razão de possível duvida constitucional bem que os outros seis poderiam ter decidido pelo principio do IN DUBIO PRO SOCIETATE. 

O STF  não é para pecar, mas seus ministros PECAM!


Lamento ver que o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL não é tão SUPREMO assim e tenha decidido com incerteza a ponto de todos os ministros titubearem na lavratura da ementa depois da duvida na contagem dos votos e confusão gerada com o parecer da ministra presidente Carmem Lucia.


Embora utópico, espero que um dia desapareça o sentido da expressão “manda quem pode, obedece quem precisa”.

NOSSA SENHORA APARECIDA - 2017


 Resultado de imagem para n. s. aparecida

 Prezados irmãos e filhos de Maria.
Quem é a Nossa Senhora da Conceição Aparecida?
Maria é filha de São Joaquim e Santa Ana (apócrifos), teria nascida pelo ano 20 aC, considerando-se que por questão de erro de cálculo do  calendário solicitado pelo Papa, Jesus então teria nascido pelo ano 7 da nossa era (hoje estaríamos no ano 2008).
Mas, mantendo o calendário tal qual se encontra hoje, Jesus nasceu, então, no inicio da nossa era já que o calendário inicia com o seu nascimento. E Maria teria 16 anos de idade.  
Pela tradição oral, Maria deixou este mundo com aproximadamente 72 anos de idade sem passar pela experiência da morte porque não tinha pecado, era imaculada, e foi assunta ao Céu em corpo e alma. Por isto que a Igreja prega que no Céu apenas duas pessoas já estão em corpo e Alma, Jesus e Maria, enquanto que dos demais falecidos e salvos encontram-se apenas suas almas.
Desde o inicio do cristianismo Maria foi homenageada sob diversos títulos, como, v.g. Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora do Porto, Nossa Senhora do Pilar, Nossa Senhora do Rocio, Nossa Senhora da Conceição Aparecida, etc. etc.  MAS SEMPRE A MESMA E UNICA MARIA.
Hoje a Igreja celebra o dia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.
Maria recebeu esse nome porque no ano de 1717 muitos pescadores estavam a pescar no rio Paraíba, vila de Guaratinguetá, São Paulo, e três deles, Domingos Garcia, João Alves e Felipe Pedroso, lançavam suas redes, e nada de peixe.
Em dado momento, Joao Alves ao recolher sua rede percebeu um pequeno volume e viram que se tratava do corpo de uma pequena imagem de barro, faltando a cabeça.
Lançaram a rede mais abaixo e o mesmo pescador ao puxar sua rede veio nela a cabeça da imagem.
Pela semelhança com a representação da imagem de Nossa Senhora da Conceição a imagem foi recomposta e passou a ser venerada sob o titulo de Nossa Senhora da Conceição Aparecida porque ela foi “aparecida” no rio, e negra. Inicialmente a imagem ficou guardada na casa de um dos pescadores Felipe, por cerca de 15 anos, mais tarde construído um rustico altar e a imagem colocada à devoção pública onde se ajuntavam devotos para a reza do terço e outras devoções[i].
Milagres foram acontecendo até que em 1.745 foi inaugurada a primeira Igreja pobremente construída, e as romarias eram constantes.
Em 1743 Dom Frei João da Cruz, Bispo do Rio de Janeiro aprovou a nova Igreja e culto. A data da festa passou por datas diferentes, 8 de dezembro, 7 de Setembro, e a partir de 1953 definitivamente passou a ser 12 de outubro.
No local formou-se um povoado chamado de Aparecida (distrito). Por volta de 1734 foi construída a Capela do Morro dos Coqueiros, inaugurada em 1745. No ano de 1955 iniciou-se a construção do Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida e no ano de 1984 foi declarada pela CNBB Basílica de Aparecida Santuário Nacional[ii].
Portanto, Nossa Senhora Aparecida é um título atribuído à Maria Mãe de Jesus, rejeitada por muitos protestantes que extravasando seus fanatismos, ódios e ignorâncias chegam ao vandalismo invadindo igrejas e quebrando imagens.
 Mas o que importa para nós católicos é o que a imagem lembra e representa. Respeitamos as imagens dentre elas a de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira do Brasil. A fúria dos tentados pelo demônio pode levar a quebrar o barro e influenciar nos fracos que renegam o catolicismo, mas jamais destruirão a fé em Jesus e nos seus ensinamentos através da Igreja de Cristo.
Nossa Senhora, sob qualquer título, vem intercedendo por todos nós, inclusive pelos protestantes hoje chamados de evangélicos ou crentes cujos atributos já pertenciam aos católicos antes de Lutero criar o protestantismo. Ressalvamos que felizmente nem todos eles agem assim, pois temos irmãos evangélicos dignos e que vivem sua fé com equilíbrio e sinceridade.  
Mas hoje é dia de alegria. DIA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA, MÃE DE JESUS CRISTO E  QUE EM RAZÃO DESSA MATERNIDADE NINGUÉM PODE SE ATREVER A  NÃO AMA-LA.
Continuemos irmãos católicos, a venerar a imagem de Nossa Senhora, figura daquela que está no Céu.
E viva Nossa Senhora!
Com as bênçãos de Maria
Dc Narelvi

terça-feira, 10 de outubro de 2017

LIBERDADE? EXPOSIÇÕES E ATITUDES QUE DENIGREM A ESSÊNCIA HUMANA E A RELIGIÃO.




 

Dc. Narelvi. Li sua matéria sobre Queermuseu e achei interessante. Recentemente um artista apresentou-se completamente nu no centro de um tablado de um museu de São Paulo para ser tocado ou apalpado. Consta que uma menina que aparentava ter cerca de quatro anos de idade interagiu com o homem que estava deitado de barriga para cima, com a genitália à mostra. Dizem que famosos estão defendendo essa arte. Poderia retornar ao assunto abordando a liberdade?

Prezado leitor.
1.  Vi uma foto do artista nu sendo tocado, cercado de pessoas bem vestidas com olhares atentos para aquela maravilhosa espécie rara. Não vi a foto a que você se referiu, mas imagino que essa menina de quatro anos de idade, com toda a sua pureza não compreendia o que estava fazendo e apenas saciou a lasciva dos observadores daquele espetáculo deprimente. Domingo no Fantástico da Globo, uma reportagem falou mais em pinturas de nu artístico e das tendências a essa “arte” para a exposição de corpo nu ao vivo.

2.  Primeiramente, ressalvo que a pintura pura e simples de pessoas nuas, ai sim como arte, é aceitável e até decoram salas e outros ambientes de visitação pública. E não escandalizam. Aí pergunto se existirá alguém neste mundo que não conheça seu próprio corpo e de outras pessoas macho e fêmea, nuas? Mas são pinturas artísticas que não têm por objetivo escandalizar nem deprimir e são admiradas até como se fosse de uma natureza morta. Veja a diferença que há entre uma pintura artística em tela de uma pessoa nua e a foto ou pintura de mulher ou homem pelados nessas revistas dedicadas a homens e mulheres que desejam estimular seus instintos sexuais olhando para corpos de “famosos”.  Veja que até o adjetivo muda. No primeiro caso admira-se a obra, no segundo estimula-se o erotismo.

3.  Então querem os defensores da exposição queermuseu (Queer, usualmente relacionado com pessoas gays, lésbicas, bissexuais ou transgêneros) e outras que estão pipocando por aí, defende-la e acusam quem não aceita de intolerantes. E como tantas coisas ruins que o brasileiro inventa ou copia, agora é a vez do nu erótico que vai se expandindo aos poucos como quem come mingau pelas beiras para fazer com que logo vire rotina. Mas a reação, o enfrentamento, são respostas adequadas.

4.  Sim porque ninguém é tão ingênuo ou tolo para se deixar levar pelas lábias dos defensores dessa pseuda liberdade. Querem eles que acreditemos que exibir em museu ou em qualquer outro lugar publico homem pelado sendo tocado por crianças (meninas?) ou até mesmo adulto (até agora não ouvi falar em mulher nua tocada por menino), desfiles repugnantes de feministas e gays praticando masturbações com imagens religiosas, haste de cruz e até introduzindo parte dela no ânus e na vagina, deboche a Nossa Senhora mãe de Jesus com quebras de imagens e atos obscenos, inscrições em hóstias (não consagradas), indução de crianças à iniciação sexual que poderá estimular a pedofilia, pinturas de homens brancos submetendo passivamente o negro ao sexo oral e anal ao mesmo tempo, sexo com animais, desenhos de crianças “viadas”, e tantas outras aberrações com a finalidade de atingir o decoro, o cristianismo, as famílias, a sociedade, a moralidade, num ataque infame contra princípios do bem que dignificam o homem, cujos “artistas” querem sepultar a boa cultura chamando joça de “arte”, precisam ser repreendidos para que não contaminem o que de bom tem no ser humano.

5.  E gerenciando tudo isso, dizem eles que assim agem pelo exercício da LIBERDADE, da DEMOCRACIA, para quebrar tabus. E contam com o apoio de “famosos”.

Mas até onde? Qual o limite?

6.  Certamente que LIBERDADE é um direito natural, constitucional e acima de tudo uma dadiva de Deus. O homem deve ser LIVRE e FELIZ.

7.  Entretanto, o que estamos testemunhando é um desvirtuamento anarquista dos valores que o homem buscou desde sempre na cultura e na fé e que com o decorrer dos tempos chegou-se a um grau de consciência do bem e do mal que favorece o esforço em favor deste mundo num plano melhor de acordo com o Plano de Deus e dos próprios homens.

8.  Portanto somos atingidos por uma exceção a regra motivada por uma minoria pelo mau uso da liberdade e pela interpretação equivocada do que seja a democracia, pela quebra de alguns úteis tabus, pelo relativismo religioso que desviado do seu centro bagunçou a fé de muitos, a falta de patriotismo, civismo e civilidade que destroem a civilização, a desonestidade dos homens que administram o país, o descuido da educação escolar e familiar, a falta de fraternidade e amor ao próximo, os crimes que imperam nos morros e ruas, enfim, uma gama enorme de coisas erradas que se espalham em nosso país e que devem ser combatidos duramente por cada um de nós.

9.  E quando manifestamos com liberdade nossos direitos religiosos, culturais, constitucionais, legais como o código penal, o Estatuto da Criança e do Adolescente, para defender os direitos de crença, das crianças, dos negros, da família, de todos, enfim, contra manifestações contrárias a esses princípios, lá vem o escudo de defesa: “querem implantar a censura!”.

10.     E em socorro vem os “famosos”. Famosos por quê? Porque cantam, fazem representações teatrais, são conhecidos das televisões? Isso realmente é um mérito reconhecido, mas não infalibilidade enciclopédica, moral e cultural, pois que o conceito de famoso é bem mais amplo e se aplica igualmente a outras personalidades de todas as categorias e segmentos de forma positiva ou negativa dependendo do ser de cada um.

11.     Ainda, cuidado para não se apontar para tantas outras condutas também reprováveis para justificar o injustificável do episodio em questão, pois UM ERRO NÃO JUSTIFICA O OUTRO. Que se combatam todos!

12.     Que se use do direito de LIBERDADE, mas dentro dos limites éticos, morais e legais levando em conta que a liberdade de um termina quando inicia o direito e liberdade do outro. Existe então uma barreira intransponível para que não se conflitem os interesses e a melhor recomendação é que não se confunda LIBERDADE com LIBERTINAGEM. 

13.     Assim a liberdade artística também depende do bom senso do artista que não pode se achar superior a ponto de provocar o sensato com seus desafios visivelmente tendenciosos e imorais muitas vezes motivados por suas próprias frustrações recolhidas para atingir a harmonia das pessoas de bem que procuram ter uma vida moldada em fortalecida experiência de vida.